Resumo do filme “Desmundo”

Baseado no romance de Ana Miranda, o  filme “Desmundo” o retrata  a sociedade da época, por volta de Brasil de 1570 – Época da colonização e desbravamento.Neste momento histórico os negros eram “coisas” , os índios eram “sub-humanos”  selvagens a serem “domesticados”; e  as mulheres, eram apenas objetos com a finalidade de servir ao seu marido, em todos os sentidos. Não haviam leis. Quem determinava suas próprias regras eram os que tinham posses, os que montavam vilarejos. A própria Igreja Católica pouco podia interferir nas decisões de cada vila ou de cada senhor. Mas  tentou “apartar” os homens de certos pecados como o de atos incestuosos ,  relações com outros homens e índias . A Igreja mandou que trouxessem órfãs portuguesas para que   casassem com os bandeirantes. Tais mulheres não escolhiam se desejavam se casar ; tão pouco com quem se casariam. No começo do filme uma das personagens diz como  era o casamento da época  “o casar é leve. É viver conforme o querer dos homens” O filme vem conts  a estória de uma dessas moças. A jovem Oribela de Covilhã (Simone Spoladore) é obrigada a casar com Francisco de Albuquerque (Osmar Prado) , um homem rude, típico da sociedade patriarcal portuguesa e exemplo da sociedade que o Brasil estava se tornando.

A partir do casamento  a angústia, o isolamento, o medo do desconhecido, os hábitos rudes do marido e da sogra começam a consumi-la a ponto de produzir na jovem um desejo de fuga  para sua terra natal. Em sua primeira tentativa ela é localizada pelo marido  e depois  levada para casa, ele a acorrenta e agride para “ensina-la” , ela então finge conformar-se mas ao ser liberta foge novamente, desta vez ela procura por Ximeno (Caco Ciocler), um cristão-novo misto de pescador e mascate,por  quem ela nutre certa admiração. Ele a dá abrigo e acabam se envolvendo , eles planejam fugir juntos.  Mas Francisco, que já havia notado a afeição da esposa por Ximeno  vigiou a casa do mascate e os surpreendeu durante a fuga. Eles então duelam e Francisco acaba matando  Ximeno.

O final do filme mostra Oribela dando a luz e depois andando de carruagem, agora conformada com sua “condição de esposa”. Não é um final feliz. Mas dentro de uma sociedade sem qualquer direito fundamental resguardado, principalmente se tratando de uma mulher, este foi  um final melhor do que  ela provavelmente levaria se fosse uma história real .

Advertisements

Setembro 29, 2012. Trabalhos Estácio de Sá.

6 comentários

  1. eduarda replied:

    muita coisa para ler eu to fora

    • 4humanistas replied:

      Sinto muito é um blog elaborado por estudantes de Direito, e eu pessoalmente vejo leitura como prazer , principalmente se tratando da matéria que escolhi trabalhar a vida inteira .

  2. Milena Pereira Mendes Leite replied:

    Graças a professora fazemos esse relatório
    Melhor exeperiencia da minha vida

    • 4humanistas replied:

      Verdade, sinceramente não gostei muito do filme , mas ajuda a enriquecer conhecimentos sobre um período em que todos que não se enquadrassem no perfil de homem europeu, rico, branco, católico não possuía qualquer amparo, e que não havia sequer um Estado constituído que se pudesse reivindicar algo.

  3. josefa replied:

    gostei

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback URI

Direitos Humanos

Sob a Ótica de 5 Estudantes

ONU Brasil

Sob a Ótica de 5 Estudantes

%d bloggers like this: